Desenvolvimento neuropsicomotor e qualidade de vida de bebês prematuros no primeiro ano de vida

Autor(es): Alice Stedile Marques , Nicole Zinani Pedroni, Tatiane Paludo, Fernanda Cechetti,
Orientador: Raquel Saccani
Quantidade de visulizações: 29

O desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM) infantil é influenciado por fatores biológicos e ambientais. Bebês prematuros enfrentam maior risco de atrasos no DNPM, sendo impactados também na qualidade de vida relacionada à saúde. Dessa forma, avaliar precocemente o DNPM dessas crianças é essencial para identificar possíveis atrasos e intervir precocemente, minimizando sequelas futuras. Por isso, o objetivo deste estudo foi avaliar o DNPM e qualidade de vida de prematuros no primeiro ano de vida, verificando a associação com fatores de risco biológicos e ambientais. Esta pesquisa, analítica e transversal, incluiu 20 bebês pré-termos com idade corrigida de 3 a 12 meses, nascidos com peso inferior a 2.500g e cadastrados no Ambulatório de Alto Risco do Centro Clínico da Universidade de Caxias do Sul. Foi aplicada a Escala Bayley III, para o DNPM; Questionário PedsQL, para qualidade de vida e para identificação de fatores de risco biológicos e ambientais: AHEMD-IS, ABEP e questionário produzido pelas pesquisadoras. Foi utilizada estatística descritiva e teste Qui-Quadrado (p<0,05). Na amostra, prevaleceu a prematuridade moderada (60%) e o muito baixo peso (50%). O nível sócio econômico prevalente foi o C2 (40%). Considerando o DNPM, em todos os domínios da escala, prevaleceu o desenvolvimento adequado, sendo, para os aspectos motores e linguagem, 16 (80%) crianças e, para cognição, 11(55%). No domínio motor, 3 (15%) crianças foram classificadas como atípicas; na linguagem, 4 (20%); e no cognitivo, 2 (10%). A pontuação média da qualidade de vida foi 81,18 (DP 10,68). O domínio do DNPM que sofreu maior impacto dos fatores ambientais foi a linguagem (renda - p=0,06; Ahemd - p=0,06). Os fatores biológicos não demonstraram associação significativa com o DNPM. Desse modo, os resultados indicaram que o domínio da linguagem foi o mais impactado por fatores ambientais, enquanto os biológicos não demonstraram associação significativa com o DNPM. O tamanho da amostra pode não ter sido suficientemente grande para detectar maiores associações dos fatores biológicos e ambientais, com o desenvolvimento das crianças. No entanto, a avaliação precoce é crucial para poder intervir precocemente e melhorar a qualidade de vida, a fim de minimizar efeitos deletérios no DNPM.

Palavras-chave: Desenvolvimento Infantil, Fatores de Risco, Prematuridade