Processos formativos e espaços educacionais: articulações e desafios

Autor(es): Nicole Roberta Berlanda
Orientador: Andréia Morés
Quantidade de visulizações: 142

Processos formativos e espaços educacionais: articulações e desafios
A inovação pedagógica é um rompimento de paradigma que coloca em perspectiva novas formas de ensinar e aprender, indo além da reprodução de conteúdos e buscando diferentes epistemes (LEITE, 2012). A pesquisa em andamento está relacionada ao projeto “Inovações pedagógicas e tecnológicas e suas articulações com os espaços educacionais (InovaEdu)”, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha Processos Educacionais, Linguagem, Tecnologia e Inclusão e ao Observatório de Educação, fazendo parte da área do conhecimento de Humanidades da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Tem como objetivos: investigar os processos formativos docentes vivenciados na educação superior e suas articulações com os espaços escolares e não escolares; mapear as possíveis articulações entre a inovação pedagógica e os espaços educacionais; e delinear as contribuições da formação docente e os desafios encontrados no processo formativo. A primeira fase constituiu-se de uma pesquisa bibliográfica junto ao Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES. Na etapa seguinte, utilizou-se a abordagem qualitativa para o levantamento das informações, sendo realizadas entrevistas individuais com estudantes de licenciatura. Após a transcrição dos dados, analisou-se as falas das participantes com o aporte teórico de Leite (2012), Messina (2001), Nóvoa (1992; 2019), Santos (2007), Veiga (2014) e Wagner e Cunha (2019). Os resultados preliminares indicam que a inovação está presente em diversos momentos da graduação e a articulação com os espaços educacionais ocorre por meio da execução dos estágios curriculares. Outrossim, é possível constatar quais foram os desafios enfrentados pelos acadêmicos durante o período pandêmico do Coronavírus. Nesse viés, evidencia-se que, apesar da inovação pedagógica alterar a metodologia de ensino, é preciso problematizar a finalidade desta mudança. Sendo assim, é indicado que a inovação priorize a formação humana, autônoma e crítica dos alunos por meio da ecologia de saberes, considerando sempre a contextualização da prática, local e culturalmente.

Palavras-chave: Formação docente, Inovação pedagógica, Espaços educacionais