CITYLIVINGLAB, A CIDADE COMO UM LABORATÓRIO VIVO: UMA PONTE ENTRE A ACADEMIA E A SOCIEDADE POR MEIO DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO

Autor(es): Amanda Pioner , Suane de Atayde Moschen,
Orientador: Ana Cristina Fachinelli Bertolini
Quantidade de visulizações: 19

A CIDADE COMO LABORATÓRIO VIVO
Pela primeira vez no mundo, há mais pessoas vivendo nas cidades do que nas zonas rurais. As Nações Unidas (2015) estimam que até 2050 quase 68% da população mundial viverá em cidades. As cidades e o seu crescimento sustentável é tema de referência para pesquisadores na busca por conhecimento e perspectivas de futuro. Em 2016, são apresentados pela ONU os 17 os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), um plano para alcançar um futuro melhor e mais sustentável para todos. Estes abordam desafios globais, incluindo aqueles relacionados à pobreza, desigualdade, mudanças climáticas, degradação ambiental, paz e justiça. A Organização Internacional de Normalização (ISO) desenvolveu indicadores para os serviços urbanos e para a qualidade de vida das cidades, que resultou no ano de 2017 na publicação da ISO 37120 (Sustainable development of communities: Indicators for city services andquality of life). Ambos os instrumentos, tanto ODS quanto ISO 37120, estão focados em fornecer parâmetros de consulta e avaliação dos serviços públicos prestados aos cidadãos ou promover de forma homogênea o crescimento social e econômico da vida urbana. Assim, instituições públicas e organizações privadas têm buscado entender que o principal objetivo de uma cidade inteligente é melhorar a qualidade da cidade e, consequentemente, a qualidade de vida das pessoas na cidade. Na economia do conhecimento, uma das dimensões essenciais é a dimensão organizacional, em que uma cidade pode ser vista neste contexto de uma cidade mais ou menos adequada para apoiar a criação de valor dos cidadãos e para os cidadãos. Uma cidade é então um laboratório vivo para a inovação. Um Living Lab pode ser visto como um ambiente de inovação e uma abordagem de inovação. Living labs englobam, simultaneamente, dimensões sociais e tecnológicas, em uma parceria entre empresas, cidadãos, governos e universidades. Trata-se de um ecossistema onde diferentes parceiros trabalham lado a lado, compartilhando conhecimento enquanto interagem com uma ampla variedade de conhecimentos e tecnologias, induzindo assim um terreno fértil para inovação, pesquisa e comunicação interdisciplinar. Esta pesquisa tem como objetivo fazer conexões entre a sociedade e a academia através de ferramentas de comunicação. O objetivo é avançar na procura de elementos que colaborem para a compreensão dos serviços públicos que contribuam para cidades mais humanas, inteligentes, baseadas no conhecimento e sustentáveis. A coleta de dados é uma curadoria de trabalhos desenvolvidos por um grupo de pesquisa da Universidade de Caxias do Sul e organizado para criar maior conexão com a sociedade. O resultado da pesquisa passa da criação de um site, das redes sociais até a transcrição de artigos científicos para a linguagem informal. Por fim, a pesquisa fomenta um modelo multidimensional de city livinglab para cidades do conhecimento baseado no método das 5 hélices, da satisfação com a vida nas cidades e da cocriação de valor em serviços públicos.

Palavras-chave: Living lab , Cidades Inteligentes e Sustentáveis , Comunicação