Impacto do aleitamento materno no desenvolvimento motor de crianças nascidas prematuras de 0 a 18 meses de idade corrigida

Autor(es): Fernanda Trubian
Orientador: Raquel Saccani
Quantidade de visulizações: 29

Impacto do aleitamento materno no desenvolvimento motor de crianças nascidas
O desenvolvimento motor é um processo que decorre ao longo da vida de cada indivíduo, e que está sujeito a diferentes fatores de influência, amplamente categorizados em biológicos e ambientais. Dentre estes fatores, destaca-se que o aleitamento materno tem sido associado à melhores resultados no desempenho motor, sendo benéfico à lactentes durante a primeira infância. O principal objetivo do trabalho é avaliar o impacto do aleitamento materno sobre o desenvolvimento motor de crianças entre 0 e 18 meses de idade corrigida. Os métodos utilizados são  o estudo descritivo e observacional, de caráter associativo e abordagem transversal, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade de Caxias do Sul (UCS) (nº 2.688.022). Foram avaliadas 95 crianças prematuras (<36 semanas) com idade corrigida até 18 meses, cadastradas no Ambulatório de Alto Risco do Centro Clínico da UCS. A amostra foi distribuída em dois grupos: crianças que receberam aleitamento materno (n=52) e crianças que não foram aleitadas (n=43). Para avaliação do desenvolvimento foi utilizada a Alberta Infant Motor Scale, que é uma escala observacional das posturas prono (21 itens), supino (9), sentado (12) e em pé (16). Além disso, foi aplicado dois questionários para identificar as características biológicas e ambientais da amostra. Foi utilizada estatística descritiva e para a correlação entre desempenho motor e tempo de aleitamento, foi utilizada a correlação de Pearson (p=0,05). Como resultado, espera-se a categorização do desenvolvimento motor das crianças que receberam aleitamento materno indicou que 53,8% destes bebês apresentaram desempenho dentro da normalidade, 30,8% foram classificadas como suspeita para atraso e 15,4% apresentaram atraso motor. Para o grupo de crianças que não receberam aleitamento, observou-se que 39,5% estavam dentro da normalidade no desempenho motor, 27,9% estavam com suspeita para o atraso, e 32,6% apresentaram atraso motor. Além disso, observou-se correlação significativa entre o tempo de aleitamento exclusivo e o percentil de desempenho (r=0,25; p=0,18), indicando que quanto maior o tempo de aleitamento materno exclusivo, melhor o desenvolvimento da criança. Os dados obtidos indicam que as crianças que receberam aleitamento materno obtiveram melhores resultados no desempenho motor, sendo que, percentis superiores são observados em bebês que foram aleitados por mais tempo. Além disso, diante da identificação de atrasos motores, há a necessidade da intervenção motora, a fim de promover o desenvolvimento adequado, ou ainda, minimizar o atraso.

Palavras-chave: aleitamento materno, fatores de risco, desenvolvimento motor