AVALIAÇÃO DE FATORES QUE CONTRIBUEM NA PATOGENICIDADE DE Colletotrichum spp.

Autor(es): Tayna Ribeiro Trentin , Fernando Joel Scariot, Mariele Castellani, Ana Paula Longaray Delamare,
Orientador: Sergio Echeverrigaray Laguna
Quantidade de visulizações: 40

AVALIAÇÃO DE FATORES QUE CONTRIBUEM NA PATOGENICIDADE DE Colletotrichum spp.
O gênero Colletotrichum é responsável por uma doença normalmente denominada de antracnose. Esta doença fúngica pode ocorrer em frutos, e é responsável por perdas econômicas no Brasil e no mundo. Fatores relevantes para a infecção de plantas por Colletotrichum envolvem a presença de enzimas líticas e a alteração do pH no local da lesão. O objetivo deste trabalho é avaliar fatores de virulência que possam contribuir para uma maior patogenicidade de espécies de Colletotrichum. Os ensaios foram realizados com cinco isolados de Colletotrichum, que foram inoculados em meio de cultivo com nitrato de potássio como fonte de nitrogênio (5 g/L), o pH do sobrenadante foi avaliado diariamente durante 11 dias. Após, um dos isolados foi selecionado e inoculado em diferentes fontes de nitrogênio (aminoácidos, caseína e nitrato), avaliado quanto a capacidade de produção de amônia e consequente alteração do pH. Além disso, foram avaliadas as atividades proteolíticas, de pectina liase e poligalacturonásica de todos os isolados. O perfil da evolução do pH dos diferentes isolados de Colletotrichum mostrou um comportamento semelhante entre eles, então o isolado B6 (C. horii) foi selecionado para os ensaios seguintes. A avaliação das diferentes fontes de nitrogênio mostrou que o isolado B6 apresentou maior produção de amônia com caseína, atingindo seu pico de produção no décimo dia com uma concentração de amônio de 326,2 mg/L e pH final em 6,8. A partir disso, foram testadas outras fontes de nitrogênio em forma de aminoácidos, observou-se que o fungo apresentou maior produção de amônia com o aminoácido fenilalanina, com pH final em torno de 7,0. Constatou-se que a elevação do pH e a produção de amônio é dependente da fonte de nitrogênio utilizada. Outro ponto relevante, foi que o isolado C. fructicola LMFC 19.23 se destacou dos demais isolados tanto na atividade proteolítica quanto de pectina liase, entretanto para a atividade poligalacturonásica, todos os isolados apresentaram baixa atividade. A partir disso, pode-se concluir que a elevação do pH e o acúmulo de amônio pelo Colletotrichum depende da fonte de nitrogênio utilizada, além disso foi observada a presença de atividades enzimáticas que podem favorecer a patogenicidade por Colletotrichum spp.. 

Palavras-chave: Antracnose, Necrotrófica, Enzimas