ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DE ÓLEOS ESSENCIAIS SOBRE BACTÉRIAS ISOLADAS DA CAVIDADE ORAL DE CÃES

Autor(es): Lucas Dornelles dos Reis , Mauricio Tavares, Fernando J. Scariot, Sergio Echeverrigaray,
Orientador: Ana Paula Longaray Delamare
Quantidade de visulizações: 32

ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DE ÓLEOS ESSENCIAIS SOBRE BACTÉRIAS ORAIS DE CÃES
A doença periodontal é constituída por um grupo de condições inflamatórias causadas pelo acúmulo de placa bacteriana nos dentes. A doença apresenta grande importância na rotina clínica veterinária, acometendo até 80% dos pacientes. No mercado pet existem poucas opções para a prevenção da periodontite. Por possuírem atividade antimicrobiana conhecida os óleos essenciais podem representar uma alternativa eficaz no controle da periodontite canina. Este trabalho tem como objetivo testar in vitro a capacidade antibacteriana dos óleos essenciais sobre bactérias isoladas da cavidade oral de cães. Foi avaliada a concentração inibitória mínima (CIM) pelo método de diluição seriada em microplacas de 96 poços nas concentrações de 0,015% - 1% (v/v), foram utilizados também um controle positivo apenas com inóculo e um controle negativos contendo apenas o óleo. Os óleos essenciais utilizados foram de capim-limão (Cymbopogon citratus), citronela (Cymbopogon winterianum), cravo-da-índia (Syzygium aromaticum), poejo (Cunila galioides) e menta piperita (Mentha piperita). As bactérias testadas foram Neisseria zoodegmatis, Frederiksenia canicola, Staphylococcus epidermidis e Streptococcus canis. Todos os óleos essenciais foram capazes de inibir Neisseria zoodegmatis em concentrações inibitórias entre ?0,015 a 0,282% (v/v). A bactéria Frederiksenia canicola foi sensível a todos os óleos com valores de CIM entre <0,015 e 0,173% (v/v). Dos óleos avaliados, apenas de capim-limão, citronela e cravo-da-índia apresentaram inibição sobre Streptococcus canis nas concentrações de 0,080; 0,273 e 0,277% (v/v), respectivamente. Já Staphylococcus epidermidis foi inibido por capim-limão com uma concentração de 0,285% (v/v) e citronela de 0,305% (v/v), enquanto poejo e cravo-da-índia na concentração de 0,923% (v/v), entretanto, o óleo de menta piperita não inibiu esta bactéria. Todos os óleos inibiram N. zoodegmatis e F. canicola, enquanto S. epidermidis e S. canis foram mais sensíveis aos óleos de capim-limão, citronela e cravo-da-índia. Estes resultados mostram que os óleos essenciais testados apresentam atividade antibacteriana sobre bactérias isoladas da cavidade oral de cães e com potencial de uso na profilaxia da doença periodontal.

Palavras-chave: Óleo essencial, CIM , Doença periodontal