Avaliação in vitro da atividade antiparvovírus canino de 4 óleos essenciais

Autor(es): Aline Fávero , Bianca Tavares Canci, Rafaele Frassini, Simone Silveira, Larissa Giotti, Wellington V. Souza, Weslei Santana, Sabrina Bertolazzi, Mariana Roesch Ely, André Felipe Streck, Suélen Paesi,
Orientador: João Antonio Pêgas Henriques
Quantidade de visulizações: 42

Avaliação in vitro da atividade antiparvovírus canino de 4 óleos essenciais
Os óleos essenciais são ricos em terpenos oriundos do metabolismo secundário das plantas e possuem ação antimicrobiana, antiviral e anti neoplásica. A parvovirose canina é causada pelo parvovírus canino tipo 2 (CPV-2) e acomete cães filhotes e adultos não vacinados causando enterite com 70% de mortalidade em animais não tratados. Atualmente o tratamento é apenas de suporte, assim é importante estudar novas moléculas com atividade antiviral para o vírus em questão. O objetivo do presente trabalho foi avaliar in vitro a citotoxicidade dos óleos essenciais das plantas Cymbopogon citratus, Eucalyptus spp., Lavandula e Thymus vulgaris em células CRFK (células de rim felino) e a atividade anti-CPV-2. Para extração dos compostos foi utilizado o método de hidrodestilação, e estes foram caracterizados quimicamente por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas (GC-MS). Para avaliar a atividade antiviral, uma cepa de CPV-2 foi incubada em 3 tratamentos distintos com diferentes concentrações ([ ]) dos óleos (50,75,100 e 150µg/mL) em uma placa com a linhagem. No pré-tratamento as células foram tratadas com os óleos uma 1h antes da infecção viral. Na atividade virucida incubou-se o vírus e óleos por 1h em temperatura ambiente e posterior infecção viral nas células. Na adsorção o vírus e os óleos foram adicionados ao mesmo tempo durante a infecção. Após a avaliação do efeito citopático (EC), foi retirado o sobrenadante e o tapete de células para extração de DNA e q-PCR. Na análise química os compostos majoritários foram eucaliptol, timol e geranial. Os óleos de eucalipto e capim limão na [ ] de 150 ug/mL destacaram-se na redução do número de cópias virais nos testes de pré tratamento (76,32% ± 0,05 e 62,85%±0,10) e virucida (37,05% ± 0,05 e 44,41%± 0,12). No teste de adsorção, o Capim limão (150µg/mL) foi o único a reduzir o número de cópias (45,33%± 0,07). O óleo de Lavanda não obteve resultado satisfatório em nenhum teste, tendo o EC muito pronunciado. O óleo de Tomilho teve resultados satisfatórios nas [ ] 50 e 75µg/mL (pré tratamento), mas não superou os resultados dos óleos citados anteriormente. Esse estudo confirmou a atividade anti-parvo dos óleos de Capim limão, Eucalipto e Tomilho, podendo os compostos majoritários serem futuramente investigados como possíveis drogas antivirais contra essa virose.

Palavras-chave: Citotoxicidade, Óleos essenciais, Antiviral