Estabelecimento de pré-dipping e pós-dipping orgânicos para bovinos em lactação

Autor(es): Jéssica Ianca de Castro , Júlia Fachin Tronca, Tamiris Lopes, Alexandre Oliveira,
Orientador: André Felipe Streck
Quantidade de visulizações: 28

DESENVOLVIMENTO DE PRÉ E PÓS DIPPING ORGÂNICOS PARA BOVINOS EM LACTAÇÃO
A mastite bovina é uma inflamação na glândula mamária que pode ser causada por diferentes etiologias, resulta em redução da produção leiteira e alterações no leite e derivados, gerando grandes perdas econômicas. Diante do desenvolvimento de resistência aos antibióticos em função do uso indiscriminado dessas substâncias, se faz necessário a procura por novas moléculas com potencial antimicrobiano. Na busca por alternativas, diversos estudos foram realizados nos últimos anos utilizando extratos de plantas e óleos essencias, obtendo-se bons resultados in vitro diante de microrganismos patogênicos. O objetivo do trabalho foi mensurar o potencial de inibição de dois produtos em desenvolvimento através do teste Time Kill. Resumidamente, a atividade antimicrobiana foi avaliada quantitativamente, mostrando a redução da população microbiana em função do tempo de contato com o produto. Os produtos utilizados nos experimentos incluem na sua formulação água, glicerol, goma xantana, ácido lático, dietanolamina, decil poliglucosídeo, sorbato de potássio, corante amarelo crepúsculo e óleo essencial de capim limão ou eucalipto. O tempo de exposição foi determinado visando o período de ação in vivo dos produtos, houve variação de 1 a 10 minutos para o pré-dipping e de 5 a 60 minutos para o pós-dipping, todos os testes foram realizados em duplicata. Para realização dos testes foram utilizadas cepas de bactérias nativas (Staphylococcus aureus, Klebsiella variicola, Enterococcus faecalis e Staphylococcus sciuri) e cepas ATCC (Staphylococcus aureus e Escherichia coli). Como resultado, tanto o pré-dipping com óleo essencial de capim limão, quanto o pré-dipping com óleo essencial de eucalipto apresentaram de 98 a 100% de inibição do crescimento microbiano já a partir dos primeiros 60 segundos de contato com o inóculo. Nos testes com o pós-dipping com óleo essencial de capim limão e pós-dipping com óleo essencial de eucalipto, o efeito bactericida foi variável (com resultados de 5 a 100% de inibição). Como esperado, o potencial de redução do crescimento foi diretamente proporcional ao tempo de contato. As cepas nativas de Staphylococcus aureus foram mais sensíveis ao produto do que a cepa ATCC. Conclui-se que os produtos apresentam uma boa alternativa no manejo pré- e pós-ordenha e em breve deverão ser patenteados para produção e comercialização.

Palavras-chave: Mastite, Óleos essenciais, Time kill