CONTROLE DOS FITOPATÓGENOS Alternaria alternata E Botrytis cinerea UTILIZANDO ÓLEO ESSENCIAL DE Lippia pusilla

Autor(es): Carine Cristina Serafim Matos , Luciana Bavaresco Andrade Touguinha,
Orientador: Joséli Schwambach
Quantidade de visulizações: 61

CONTROLE DOS FUNGOS A. ALTERNATA E B. CINEREA UTILIZANDO O OE DE L. PUSILLA
A região Sul do Brasil apresenta a maior área de cultivo de videiras, caracterizando-se como a maior produtora de uva no país. No entanto, esta cultura é atacada por inúmeras doenças e para erradicação destes fitopatógenos são comumente utilizados defensivos químicos. Entretanto, devido ao dano à saúde humana e ao meio-ambiente, buscam-se produtos alternativos para o controle de doenças em plantas. Dentre os patógenos presentes no cultivo da uva, encontra-se Alternaria alternata, causadora da podridão de Alternaria e Botrytis cinerea causador do mofo cinzento nas uvas. Os óleos essenciais (OEs) têm sido testados como alternativas no controle destes fitopatógenos. O gênero Lippia apresenta estudos com resultados de ação fungicida do OE de diversas espécies, no entanto, não há muitos estudos a respeito da ação fungicida do OE de Lippia pusilla. Este trabalho manteve como objetivo avaliar através de testes in vitro o controle micelial de Alternaria alternata e Botrytis cinerea, sob o efeito do OE de Lippia pusilla. Os ensaios ocorreram com o OE emulsificado com Tween 20 (1:1) com as concentrações de 0; 0,31; 0,37; 0,43 e 0,5 µL/mL com 5 repetições por tratamento. As concentrações foram adicionadas ao meio de cultura BDA (batata, dextrose e ágar), sendo transferidas para placas de Petri de 9 cm (Ø), juntamente com disco micelial dos fitopatógenos de 8 mm (Ø), de fungos com 14 dias de crescimento miceial em câmara de cultivo a 25 °C  e fotoperíodo de 12 horas. A análise do crescimento micelial foi realizada no 3º, 5º, 7º, 10º e 14º dia através da medida do diâmetro da colônia (cm). O resultado mostrou que o OE possui ação fungicida inibindo 100% do crescimento micelial in vitro na concentração de 0,43 µl/mL para os dois fungos analisados. Já para o fungo A. alternata, o óleo testado também apresentou controle parcial com ação fungistática na concentração 0,37 µl/mL. Conclui-se que o óleo essencial de L. pusilla mostra grande potencial para ser utilizado no controle fungicida de A. alternata e B. cinerea.

Palavras-chave: controle alternativo, videira, ação fungicida