Prevalência de alteração motora em prematuros de muito baixo peso acompanhados no Centro Clínico da Universidade de Caxias do Sul

Autor(es): Giovanna Belladona Ziani , Bruna Silvestre, Laura de Moura Rodrigues,
Orientador: Vandrea Carla de Souza
Quantidade de visulizações: 33

Prevalência de alteração motora em prematuros de muito baixo peso (CECLIN/UCS)
A prematuridade está relacionada a déficits no desenvolvimento motor dos lactentes, sendo fundamental a avaliação motora dessas crianças. A Escala Motora Infantil de Alberta (AIMS) é uma ferramenta confiável, utilizada na avaliação do desenvolvimento motor grosso de lactentes, possibilitando o rastreio de alterações e a intervenção precoce, se necessária.  O presente estudo teve por objetivo verificar a prevalência de atrasos motores em lactentes prematuros de muito baixo peso, acompanhados no Ambulatório de Bebês de Alto Risco, no Centro Clínico da Universidade de Caxias do Sul. Foram avaliadas crianças de 0 a 13 meses, com peso de nascimento (PN) inferior a 1.500 g, sendo excluídas as que apresentaram doença neurológica grave. A coleta de dados foi realizada na primeira consulta após a alta hospitalar, com consentimento esclarecido dos pais. A avaliação com base na AIMS foi executada por dois fisioterapeutas treinados. O escore foi classificado de acordo com a idade corrigida, sendo normais os percentis superiores a 25%, alterados os < 5% e suspeitos entre 6 e 24%. 102 crianças foram avaliadas, 52 do sexo feminino (51%), com prevalência (IC 95%) de alteração motora em 23,5% (15,0; 32,0). Nas demais crianças, 42 (41,2%) tinham alteração suspeita e apenas 36 (35,2%) avaliação normal. A prevalência descrita está em acordo com Fuentefria et al. que observou alteração do desenvolvimento motor grosso em 25,3% da amostra de prematuros aos 8 meses de idade corrigida e 32,5% aos 18 meses. Ocorrência inferior foi observada no nordeste brasileiro (12%), provavelmente por ter metade da amostra com PN superior a 1.500g.  O reduzido percentual de normalidade motora observado reforça a necessidade de avaliação precoce nesta população de prematuros de muito baixo peso, uma vez que as habilidades motoras são fundamentais para que a criança possa explorar o seu entorno, relacionar-se socialmente e adquirir novas habilidades.

Palavras-chave: Recém-Nascido Prematuro, Deficiências do Desenvolvimento , Recém-Nascido de muito Baixo Peso