INCIDÊNCIA DE LESÃO RENAL AGUDA EM PREMATUROS DE MUITO BAIXO PESO NO HOSPITAL GERAL DE CAXIAS DO SUL

Autor(es): Luana de Castro Fauth , Laís Fagundes Pasini, Roberta Florian Santa Catharina, Sarah Assoni Bilibio,
Orientador: Vandrea Carla de Souza
Quantidade de visulizações: 85

INCIDÊNCIA DE LESÃO RENAL AGUDA EM PREMATUROS DE MUITO BAIXO PESO NO HGCXS
O nascimento prematuro é considerado uma causa importante de morbimortalidade no período neonatal. Dentre as complicações da internação destaca-se a lesão renal aguda (LRA) decorrente da imaturidade e ambiente extrauterino hostil. O objetivo do trabalho é descrever a incidência de LRA nos primeiros 15 dias de vida em população de prematuros de muito baixo peso, no Hospital Geral de Caxias do Sul. O estudo de coorte avaliou prematuros menores de 1.500 g, internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital Geral de Caxias do Sul, no período de março de 2017 a julho de 2021. O diagnóstico de LRA foi aferido com a classificação de KDIGO modificada, utilizando a creatinina sérica e o débito urinário nos primeiros 15 dias de vida. Foram avaliadas 99 crianças menores de 1500g, com idade gestacional (IG) mediana (IQR) de 30 semanas (28; 31) e peso de nascimento mediano (IQR) de 1160g (922; 1297). A incidência (IC 95%) de LRA foi de 21,2% (13,2; 29,3), sendo 15% classificados no estágio 1, 1% no estágio 2 e 5% no estágio 3. 57% dos casos de LRA não apresentaram redução da diurese. A distribuição das variáveis por grupo (LRA vs sem LRA) obteve diferenças de distribuição estatisticamente significativas para Apgar no primeiro e quinto minuto, IG e tempo de uso de dopamina. O grupo que desenvolveu LRA apresentou IG mediana de 1,5 semanas inferior ao grupo controle, em acordo com o descrito por Mian et al. que descreveu relação inversa entre LRA e IG. No presente estudo, a maior incidência de LRA foi observada em RNs mais imaturos e com menor vitalidade ao nascimento, em acordo com o descrito na literatura. A manutenção do débito urinário na maioria dos casos alerta para a necessidade de monitoramento da função renal em pacientes de risco.

Palavras-chave: Lesão Renal Aguda, Recém-nascidos de muito baixo peso , Recém-nascidos prematuros